quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

FURACÃO MUITO PERTO DO MUNDIAL DE CLUBES

QUEM DISSE QUE NÃO PODEMOS?

Uma novidade pode abalar ainda mais, positivamente, o futebol paranaense.

O Athletico está muito próximo do mundial de clubes da FIFA, basta a FIFA bater o martelo em reunião que acontecerá em março de 2019.

O que parecia apenas sonho, já está tomando contornos de realidade.

Cansada dos seguidos fracassos em sua proposta de mundial atual, a FIFA perdeu a paciência de vez e colocará em “votação” o novo modelo de mundial que poderá ser anual ou quadrienal (de 4 em 4 anos), que poderá contar com a participação de 24 clubes.

De acordo com o New York Times, a FIFA recebeu uma proposta de $ 25 bilhões de dólares, cerca de R$ 100 bilhões de reais para organizar o novo mundial.

A distribuição das vagas ficaria da seguinte forma:

12 clubes da Europa, sendo os 4 últimos campeões e vices da Liga dos Campeões e os 4 campeões da Liga Europa;

4 clubes da América do Sul, sendo os 4 últimos campeões da Libertadores;

2 Clubes da África, definidos em playoff com os 4 últimos campeões da liga continental africana;

2 clubes da Ásia, definidos em playoff com os 4 últimos campeões da liga continental Asiática;

2 clubes da Concacaf (América Central e do Norte), definidos em playoff com os 4 últimos campeões da liga;

1 clube do país promotor do evento;

1 clube classificado a partir de um playoff entre os 4 últimos campeões da Copa Sul-Americana, cujo o vencedor disputaria com o campeão da Oceania (a hegemonia do torneio pertence a clubes semiamadores da Nova Zelândia) a última vaga no mundial. Esta é a parte que interessa aos Athleticanos.

Vamos supor que o mundial ocorra em 2021 e o regulamento acima seja levado adiante, o Athletico já teria confirmado 1 dos concorrentes a vaga, o Independiente da Argentina. Se juntarão a Athletico e Independiente os campeões do torneio em 2019 e 2020. Desses 4, e façamos votos seja o Furacão, sairia o representante sulamericano que enfrentaria o campeão da Liga da Oceania, pela disputa da vaga no mundial.

De acordo com o regulamento apresentado para o mundial, as equipes seriam divididas em 8 grupos com 3 clubes cada. Só o primeiro de cada grupo se classifica e a partir daí teríamos as quartas de final, semi-final e final.

A competição seria decidida em 18 dias.

Tudo leva a crer que a FIFA baterá o martelo para o novo modelo, visto que o contrato do atual mundial chegou ao fim agora em 2018. Em março haverá uma reunião para sacramentar de vez o novo modelo de mundial, resta saber se anual ou quadrienal e, portanto, o Club Athletico Paranaense já pode começar a se preparar para disputar o primeiro mundial de clubes de sua história. 





COINCIDÊNCIAS NÃO EXISTEM

1995, MCP assume o Furacão, tirando o clube da segunda divisão para 6 anos após, conquistar o maior título do clube até então.

2012 MCP reassume o Furacão, tirando o clube da segunda divisão para 6 anos após, conquistar o maior título da história do clube.

10 anos após 1995 o Athletico ficou prestes a disputar o mundial, mas teve seu direito de jogar na Baixada usurpado vergonhosamente na final da Libertadores.

9 anos após 2012 o Athletico poderá, quem sabe, finalmente, jogar seu primeiro mundial. 

Coincidências não existem, competência sim!




ERROS DE PORTUGUÊS

O absurdo caso da Tribuna, que deixou de lado matérias relevantes sobre o Furacão, para fazer uma relativa ao erro de MCP na escrita do nome do Athletico.

Acredito até que MCP, perfeccionista e inteligente (acima da média) que é, tenha errado de propósito, para dar mais IBOPE a sua mensagem.

MCP já é uma lenda! Prestes a completar 75 anos de idade, trabalha mais do que a maioria da garotada entre 18 e 30 anos. Um homem a frente de seu tempo, que década após década sempre se reciclou, buscou, aprendeu, criou e inovou, fazendo mentes mais jovens passarem vergonha.

Quanto aos erros, algo mais que normal, pois, eu erro, você erra, os jornalistas erram e sempre erraram, mesmo porque a língua “portuguesa” (brasileira) nos prega peças e se não prestarmos atenção, erramos muitas vezes sem perceber. Até professores da língua e advogados, dentre outros, que não se podem dar ao luxo de errar, erram.

Será que a Tribuna e a Gazeta já se deram conta das quantidades excessivas de erros que cometem em todas as suas postagens, inclusive em manchetes? Erros muito mais absurdos do que o cometido por MCP. 

Conversei alguns dias atrás com o Professor Ronaldo, um grande historiador e colaborador da história do Athletico, que concordou com meu pensamento quando lhe disse que não estamos aqui para ensinar a língua portuguesa para ninguém, quem quiser aprender que vá para a escola.

Na falta do que fazer, e para esconder o banheiro emporcalhado, melhor é observar o banheiro alheio e reclamar de uma gota do chuveiro. Tribuna e Gazeta sendo sempre tribuna e gazeta, medíocres como só elas sabem ser. 




A NOVA GERAÇÃO NADA SOFREU COM O FURACÃO 


A nova geração foi agraciada com a grandeza conquistada ao longo dos últimos 23 anos pelo Furacão, graças a MCP.

A nova geração, que muito reclama, não passou o que nós, Athleticanos de outras décadas, passamos.

A nova geração não teve que sentir a dor de ver o Furacão levar de 5 dos bambis em 1992, no Morumbi, e ser chamado de time pequeno e medíocre por jornalistas, comentaristas e cronistas esportivos do Brasil inteiro, muito menos aguentar os coxinhas no dia seguinte.

A nova geração não precisou aguentar o sentimento de tristeza em ver o rival ganhar o título nacional de 1985 e passar a cantar nos nossos ouvidos, “quando tiverem uma estrela dessa poderão conversar conosco”.

A nova geração não sabe o que era andar pelas ruas com o manto sagrado Athleticano, ser motivo de risos e piadas, mas ficar firme e demonstrar todo seu amor pelo Club Athletico Paranaense.

A nova geração não sabe o que é ter que abandonar o seu estádio e mudar em definitivo para uma “terra” que não era sua, tendo que ouvir dos rivais que éramos um clube sem terra.

A nova geração não teve que sentir o gosto amargo de ver o clube em decadência e ainda perder para o rival de 5, em um domingo de Páscoa em 1995. Ah meus amigos, que sentimento de agonia foi aquele? Quem lembra? Que dor amarguei por meses por aquela derrota, aliás por 2 anos, até aquele timaço de 1997, montado por MCP, dar o troco em um dos dias mais felizes da minha vida de Athleticano, e o sabor foi o mesmo de ter conquistado a Sulamericana.

A nova geração não precisou passar por centenas de fatos traumáticos para um torcedor e ainda levantar no dia seguinte vestindo a camisa e entoando o hino, mesmo magoado e ferido pelas seguidas pancadas recebidas pelo time.

O que dizer então do Pinheirão, chuva no lombo, públicos irrisórios, quedas para a segundona ano após ano, dificuldades de locomoção e o fator de não ser nossa legítima casa? Pior ainda é ver gente que pegou o bonde andando e que diz sentir saudades do Pinheirão. Tomara que os coxinhas tenham que jogar lá!

A nova geração desconhece o que é ser motivo de piadas diariamente pela torcida coxa, desconhece o que realmente é amar o Athletico, aguentando todo tipo de gozação e humilhação.

A nova geração cresceu diante de um clube campeão, inovador, com um estádio espetacular, sem saber o significado do gosto da chuva em uma partida inteira apoiando o time, mesmo diante de uma derrota certa.

A nova geração nasceu feliz, mas precisa valorizar essa felicidade que nós mais velhos levamos tantos anos para usufruir.

A nova geração precisa aprender que não são os títulos que nos tornaram Athleticanos, aliás eles nunca fizeram tanta diferença no amor que sentimos. Nos tornamos Atheticanos porque temos o sangue forte e não tememos a própria morte.

Athleticano de verdade não precisa de títulos para amar este clube, amamos pelo simples fato dele estar presente em nosso sangue e nossas almas!


5 comentários:

  1. muito obrigado mcp por tudo que vc fez pelo atletico vc tem mérito mas vc ta acabando com a paixao atleticana ta ficando uma torcida fria nao era como antigamente

    ResponderExcluir
  2. muito obrigado mcp por tudo que vc fez pelo atletico vc tem mérito mas vc ta acabando com a paixao atleticana ta ficando uma torcida fria nao era como antigamente

    ResponderExcluir
  3. Mas a torcida fria, faz isso por estar acostumada com o que o MCP fez pelo Athletico, se tivesse vivido 25 anos atrás, não teria esse sentimento, veria o que realmente é paixão, acima dos resultados, títulos e troca de escudo... já passamos por tudo isso é superamos, ficamos cada dia mais forte!!! Eu acredito que estamos vivendo e evoluindo a cada ano, não podemos retroceder agora.

    ResponderExcluir
  4. Não tem como descrever oque é ser ATHLETICANO, somente que é sabe oque estou dizendo.

    ResponderExcluir